O que é e como se preparar para a Indústria 4.0

O que é e como se preparar para a Indústria 4.0

A forma como o ramo industrial trabalha sempre foi um dos principais parâmetros para a administração de diversos negócios. E com a chegada das tecnologias digitais nesse segmento, surgiu uma nova revolução, a qual chamamos de Indústria 4.0. Mesmo que você ainda não saiba exatamente do que isso se trata, ela certamente já afeta seu negócio, seja de forma direta ou indireta.

Essa nova indústria se apoia principalmente em 3 pilares:

  • Internet of Things (IoT): conexão entre objetos físicos, formando uma rede de processamento;
  • Big Data: estruturas complexas e extensas de dados que ajudam a entender o mercado, mas que só podem ser propriamente processadas por uma máquina;
  • Segurança Digital: com cada vez mais recursos digitais, a nova indústria também passou a dar mais foco nas tecnologias de proteção de dados e segurança virtual.

Claro, isso não se aplica apenas às linhas de montagem. Empresas de todos os portes podem aprender com esse novo modelo de trabalho. E o quanto antes você se adaptar, melhores serão suas chances crescer e continuar competitivo.

Acompanhe a leitura deste artigo até o final e veja o que você precisa saber sobre essa nova indústria.

Quais pontos marcam a indústria 4.0?

Informação cada vez mais ágil

A praticidade e velocidade da internet mudaram consideravelmente os padrões para transmissão de informação. Seus clientes não estão mais tão dispostos a esperar muito por uma informação ou solução. Da mesma forma, dados e notificações que antes levariam horas para circularem por um escritório ou linha de produção, hoje, podem e devem ser processados imediatamente.

Se a sua empresa tem problemas para transmitir informação de forma rápida e prática, a tendência é que você perca produtividade. Investir em redes e plataformas de comunicação, além de um fluxo de informação mais eficiente, é uma necessidade atual.

Formas inovadoras de lidar com problemas

À medida que mais recursos surgem, também devem surgir soluções melhores para problemas recorrentes. Processos que têm menores taxas de falhas, ferramentas mais fáceis de utilizar, entre outras coisas, vão garantir que sua empresa se destaque em meio aos concorrentes

Boa parte da indústria 4.0 se apoia na inovação como fundamento para a maior parte de seus planos. Reproduzir ideias já testadas pode até ser um caminho seguro, mas também não é aquele que vai garantir o seu sucesso. Se você quer sobreviver nesse novo mercado, precisa cativar seu público com algo que eles ainda não conhecem.

Descentralização de processos

Um modelo de trabalho “centralizado” é aquele em que todas as decisões tomadas vêm de um mesmo ponto. Por exemplo, quando nenhuma atitude é tomada pela equipe sem que seu gerente dê permissão expressa ou quando há um único computador coordenando uma série de máquinas.

Esse modelo apresentou algumas vantagens em sua época, como evitar conflito de ordens entre os componentes. Porém, isso também faz com que todos sejam dependentes dessa central de comando. Sem ela, todo o fluxo de trabalho é interrompido.

Felizmente, graças à Internet das Coisas e às novas tecnologias, é possível transformar cada um desses componentes em parte de uma rede que se comunica constantemente. Pense que cada máquina em uma linha de montagem age como um neurônio, o qual forma uma rede com os demais. Quando uma delas é eliminada, novas conexões são estabelecidas e o sistema continua no ar.

Respostas rápidas e eficazes ao mercado

Além de pensar na velocidade da informação, a indústria 4.0 também leva muito em consideração a velocidade com a qual uma empresa consegue reagir às demandas do mercado. Atrasos de atendimento ou de adaptação podem significar alguns problemas, os quais vão desde a perda de oportunidades de crescimento até o comprometimento da imagem do seu negócio.

O público atual é mais dinâmico, com novas necessidades sendo descobertas quase diariamente. Devido a isso, estar à frente dessas alterações de demanda é fundamental para se manter relevante no mercado. Especialmente com a concorrência crescendo a cada dia.

Virtualização de ambientes

A nova indústria tenta utilizar os recursos tecnológicos atuais com o máximo de seu potencial. Dentre elas está a realidade virtual, um ambiente simulado em que é possível testar diversos cenários hipotéticos, variáveis e linhas de ação. Dessa forma, você terá mais dados para elaborar seu planejamento com mais precisão.

Há várias maneiras de aplicar a virtualização em um negócio. Uma das mais comuns é simular diferentes resultados possíveis para eventos incertos, como variações de demanda ou o resultado de um investimento, descobrindo qual é a probabilidade de sucesso. Indústrias podem utilizar esse recurso para testar diferentes configurações em sua linha de produção e descobrir qual apresenta uma melhor relação custo-benefício.

Como sua empresa pode se preparar para esse novo cenário?

Sua equipe precisa ter múltiplos pontos de vista

A indústria 4.0 põe muito mais ênfase na flexibilidade do que na regularidade de um sistema. Ter uma ferramenta que resolva mais de um problema e que possa ser adaptada a diferentes contextos é mais importante do que ter a solução perfeita para uma situação específica que, raramente, acontece. Uma forma de alcançar isso é ter um time multidisciplinar e multicultural.

Diferenciar sua equipe com base em competências técnicas é importante, mas também é uma boa ideia que cada um possa observar o mesmo problema de uma perspectiva diferente. Religiões, origens e trajetórias únicas sempre agregam ao seu time. Afinal, se todos pensam da mesma maneira, é muito mais difícil encontrar soluções novas.

Mudar a forma como se enxergam os Recursos Humanos

Aprofundando um pouco o ponto anterior, é fácil concluir que o trabalho do setor de RH também mudou bastante nesse contexto. Antigamente, profissionais eram contratados em quantidade, e não em qualidade. Porém, com o tempo, a capacidade dos indivíduos passou a ser mais importante do que o tamanho do time.

Hoje em dia, esse conceito está mais elaborado. Além de pensar em competências técnicas, também é possível selecionar profissionais de maior potencial com base em critérios mais abstratos, como personalidade e principalmente softs kills (comunicação, organização, disciplina).

Pesquisas constantes para fomentar o desenvolvimento

Como já mencionamos, flexibilidade é importante na indústria 4.0, mas isso não significa que o controle tenha perdido espaço. Pelo contrário. Com todos os recursos tecnológicos disponíveis, hoje em dia, é cada vez mais fácil acompanhar métricas precisas e usá-las a favor do seu negócio. O Big Data Analytics hoje é o melhor caminho para elevar o desempenho de uma empresa.

Com estas informações, você já pode começar a se adaptar à realidade da indústria 4.0. Por meio dela, a dinâmica do negócio será marcada pela agilidade nas informações, inovação e resposta rápida da empresa ao mercado.

Se quiser continuar acompanhando nossos artigos, curta nossa página no Facebook e fique sempre por dentro de nossas novidades.

No Comments

Cancel