Diagrama de Ishikawa: resolva problemas com análise causa e efeito

Diagrama de Ishikawa: resolva problemas com análise causa e efeito

O diagrama de Ishikawa é uma ferramenta de extrema simplicidade e altíssima eficácia destinada à resolução de problemas em qualquer cenário do mundo corporativo.

Sua estrutura gráfica de interpretação fácil e intuitiva torna prática a sua aplicação em empresas de qualquer setor. Por esse motivo, seu uso é assimilado de forma muito rápida pelas pessoas.

Ainda não conhece o diagrama de Ishikawa? Então continue a leitura deste post e explore esse método que gera melhoria contínua dos processos da sua empresa!

O que é o diagrama de Ishikawa?

O diagrama de Ishikawa é uma ferramenta de gestão muito empregada em sistemas de gestão da qualidade, que serve para detectar as causas de problemas — identificando seu foco específico — e definir soluções para erradicar cada uma delas.

Seu design gráfico lembra uma “espinha de peixe”, nome popular dessa fantástica ferramenta, que também é conhecida como Diagrama de Causa e Efeito ou Diagrama 6M.

O Diagrama de Causa e Efeito foi criado pelo engenheiro japonês Kaoru Ishikawa, que se dedicou a desenvolver uma metodologia de gestão com o objetivo de gerar melhor qualidade e eficiência nos processos organizacionais.

Como criar o diagrama?

Os passos para criação do diagrama de Ishikawa são simples e muito objetivos. Vamos a eles:

1. Engaje as pessoas

O passo primordial para criação do diagrama de Ishikawa é engajar as pessoas-chave envolvidas com o problema para que o processo de levantamento das causas seja facilitado pelo seu domínio no conhecimento do processo.

Reúna essa equipe em um ambiente calmo, que favoreça a reflexão e explique como funciona essa metodologia de gestão para a solução de problemas.

2. Especifique o problema

Descreva o problema de forma bem específica e objetiva. Sempre que possível, faça-o de maneira que possibilite mensurar sua ocorrência em volume, quantidade e/ou frequência, por exemplo. Assim ficará fácil acompanhar se as soluções determinadas surtirão efeito.

3. Desenhe o gráfico

Escreva o problema — ou seja, o “efeito” — dentro de um quadrado à direita.

A seguir, trace uma linha reta horizontal alinhada ao centro do quadrado ocupando todo o espaço onde será desenvolvido o diagrama, e desenhe três linhas inclinadas à esquerda na parte de cima e na parte de baixo da linha central, mantendo uma boa distância entre cada linha.

4. Associe os fatores causais

Kaoru Ishikawa considerava que os problemas têm, basicamente, 6 fatores como causa raiz, todos começados com a letra “M”. São eles: método, material, mão de obra, máquinas, medidas e meio ambiente.

Escreva cada um dos 6Ms na ponta de cada linha inclinada do diagrama de causa e efeito e tente identificar pelo menos três causas secundárias associadas a cada um dos 6 fatores causais de problemas.

5. Questione cada um dos fatores causais

Para identificar as causas secundárias que desencadeiam problemas nos processos organizacionais, faça uma série de questionamentos, tais como:

  • “O método de trabalho está adequado?” — sem excesso de burocracia, com controles eficazes, devidamente documentado;
  • “O material aplicado no processo tem a qualidade necessária?” — está bem especificado, tem fornecedores confiáveis, está sendo manuseado e armazenado corretamente;
  • “A mão de obra é qualificada?” — recebeu o treinamento adequado no método, no uso do material e das máquinas, sabe aplicar as métricas e os controles, assim como entende as influências do meio ambiente nos resultados do seu trabalho;
  • “As máquinas estão adequadas?” — funcionam corretamente, recebem manutenção preventiva, têm tecnologia atualizada;
  • “As medidas são suficientes e apropriadas?” — os controles realmente medem os resultados do processo, os indicadores são entendidos por todos e estão sendo realizados na periodicidade estabelecida;
  • “Como o meio ambiente interfere no processo?” — o ambiente de execução do processo gera desconforto térmico, riscos de acidente, provoca poluição, tem espaço suficiente para realização adequada do trabalho.

É importante ressaltar que durante a análise das causas poderão ser descartadas possibilidades do problema ser originado de determinados fatores causais, afunilando e/ou filtrando as opções de causas até que seja reconhecida a causa básica de origem do problema.

O grande valor do diagrama de Ishikawa é não deixar que seja esquecida alguma possibilidade de origem de um problema.

6. Documente tudo e meça os resultados

Anote cada uma das causas identificadas associadas aos fatores causais de problemas e use a experiência e a criatividade da sua equipe para determinar as soluções mais viáveis para eliminá-los, sempre mantendo registro escrito das conclusões tiradas.

As soluções apontadas devem ser incorporadas a um plano de ação, com responsável e prazo de execução, assim como devem ser associadas a métricas para avaliação dos resultados alcançados.

Como aplicar na resolução de problemas na empresa?

O diagrama de Ishikawa é uma ferramenta muito versátil que pode ser utilizada para solucionar problemas empresariais de qualquer natureza, tais como:

  • logística, para saber qual é a causa das entregas atrasarem;
  • vendas, para levantar o motivo de determinado produto não vender mais;
  • produtividade, para descobrir por qual razão a equipe do turno da noite produz metade do que as equipes dos outros turnos;
  • finanças, para saber o que provocou a queda da lucratividade.

Com esses exemplos dá para ver que a abrangência de uso do diagrama de causa e efeito é ilimitada. Basta ter a predisposição de refletir sobre cada fator causal do problema para descobrir sua origem (causa raiz).

Afinal de contas, um problema somente se resolve quando é dado o tratamento adequado à sua causa raiz. No entanto, é preciso ter em mente que o uso do diagrama de Ishikawa é um processo investigativo, que não pode ser feito de forma apressada e impaciente.

Ao longo desse processo de análise de causa e efeito o conhecimento das pessoas acerca do processo estudado se torna mais consistente e fica mais fácil obter insights que levam à sua racionalização e ao aprimoramento, eliminando problemas reais e potenciais.

O diagrama de Ishikawa é uma ferramenta de gestão tradicional, que se mantém perene e sempre atualizada, além de ser útil nas diversas situações-problema que forem detectadas. Assim como simplifica a análise das causas do problema, ele descomplica a determinação da solução do problema.

Quer se manter bem informado sobre ferramentas da qualidade e outras boas práticas de gestão para a sua empresa? Então siga-nos no Facebook!