Afinal, toda empresa precisa ter uma área de recursos humanos?

Afinal, toda empresa precisa ter uma área de recursos humanos?

A forma como um negócio lida com seus ativos pode determinar se ele terá uma ótima rentabilidade ou se mal conseguirá cobrir seus custos fixos. Não estamos falando apenas de dinheiro e matéria-prima industrial, mas principalmente de pessoas.

Essa é a ideia de ter uma area de recursos humanos: alocar melhor seus profissionais para que todos sejam mais produtivos. Porém, quando vemos pequenos ou médios negócios, não é difícil concluir que eles não contam com um departamento de RH, concorda?

Isso levanta uma questão: será que essa área é necessária para qualquer empresa? A melhor forma de responder isso é saber o que um profissional de RH faz pelo seu negócio e como lidar com certas tarefas na ausência de um. É justamente sobre isso que falaremos neste post. Acompanhe e saiba mais!

O que é a área de recursos humanos?

Encarar as pessoas como um recurso da empresa já é uma ideia antiga. Porém, com uma maior ênfase em especialização de pessoal, produtividade e otimização, tanto empresas quanto profissionais têm dado mais importância à qualidade dos trabalhos realizados.

Assim, para gerenciar todos os aspectos relacionados aos profissionais, foi necessário criar uma área dedicada a isso. Desde então, o RH evoluiu consideravelmente, desenvolvendo formas mais eficazes de selecionar profissionais, alocá-los nas funções em que eles são mais produtivos e capacitá-los para novas atribuições.

Embora se pareçam no nome, o RH não deve ser confundido com o Departamento Pessoal. Enquanto o primeiro lida com o aproveitamento dos recursos humanos da empresa, o segundo lida com a parte mais burocrática — como pagamento de salários, 13º, férias e gerenciamento de ponto.

Quais vantagens você ganha ao ter um profissional de RH?

Análise de desempenho dos profissionais

Diferentemente do que alguns pensam, a área de recursos humanos utiliza métricas bem definidas para realizar seu trabalho corretamente. A relação entre tempo de trabalho e metas alcançadas, por exemplo, determina quais colaboradores são mais produtivos e quais são os pontos fracos de cada membro da equipe.

Além disso, uma análise de desempenho detalhada também permite que os profissionais de recursos humanos deem um feedback com mais qualidade para os colaboradores.

Informações objetivas sobre desempenho, erros e acertos permitem que sua equipe faça uma análise mais crítica do próprio trabalho e que encontre soluções para certos problemas por conta própria.

Processo de recrutamento e seleção

O trabalho mais conhecido da área de recursos humanos é certamente a captação e a seleção de novos profissionais. Em resumo, um profissional de RH pode se especializar em processos seletivos para que apenas os melhores candidatos sejam admitidos em um negócio.

Quanto mais eficaz for esse processo, menos você precisará investir em treinamentos, demissões e novas admissões. A missão é simples: separar os candidatos que apresentam o rendimento e a capacitação necessários, aqueles que estão abaixo dessa linha e os que apresentam algum diferencial e/ou talento acima da média.

Com base nessa análise sua empresa poderá construir uma equipe mais produtiva e investir seu tempo nos profissionais que devem gerar maior retorno.

Elaboração de planos de carreira

Além de captar talentos, a área de recursos humanos também é responsável por incentivar esses colaboradores a continuar na empresa. Um dos mecanismos para isso é a criação de um plano de carreira, um caminho estimado para o progresso de um profissional — ela inclui estudo e adequação dos cargos e benefícios ao mercado de trabalho.

Claro, há muito mais envolvido em uma carreira do que ganhar mais dinheiro a cada mês. É necessário considerar o que cada indivíduo tem como objetivos próprios, o desejo de atuar em áreas específicas, e que cada um tira sua satisfação pessoal de suas diferentes atividades.

Alguns preferem uma carreira estável e segura, com pensamento de longo prazo, enquanto outros preferem correr riscos e atingir grandes objetivos rapidamente. É importante ter opções para ambos os perfis, pois os dois são necessários em diferentes áreas da empresa.

Melhores métodos de capacitação

Ter uma equipe motivada é importante para o crescimento do negócio, mas não é suficiente para acompanhar as exigências do público e do mercado para sempre. É aí que entram os programas de treinamento e capacitação oferecidos por empresas aos seus colaboradores.

Esses investimentos  manterão sua equipe e seu negócio competitivos no futuro. Um profissional de RH também costuma ter conhecimentos na área de capacitação, desenvolvendo treinamentos que desenvolvam mais as soft skills dos seus colaboradores — como a comunicação, a organização e o raciocínio.

Mesmo que você não precise de treinamentos técnicos, ainda é uma boa ideia investir em uma área que incentive outras características ligadas à produtividade dos colaboradores.

Gerenciamento do clima organizacional

A qualidade do ambiente de trabalho é muito mais importante do que muitas pessoas se dão conta. Além da ergonomia das ferramentas de trabalho e da salubridade do ambiente, é preciso que a relação entre os profissionais seja positiva. Por isso, sua área de recursos humanos é fundamental para otimizar o clima organizacional.

É necessário mapear as pessoas da organização para melhor entender quais são os motivadores daquele time. Para que ações possam ser realizadas e efetivas, coisas simples — como um código de ética, eventos para aproximação da equipe, retificação de reclamações e estímulo à comunicação no dia a dia — já ajudam a tornar a convivência mais leve.

Aproximação entre diferentes gerações

Por fim, graças à maior capacidade de mediação desse profissional, o setor de recursos humanos é um bom lugar para recorrer quando for necessário resolver conflitos entre diferentes gerações de colaboradores.

Os mais antigos tendem a usar mais a experiência para tomar decisões, ao passo que os novos preferem experimentar coisas novas — o que pode ou não ser um problema. A questão é que as duas mentalidades são úteis dentro do contexto certo.

Muita experiência acumulada facilita a avaliação de planos de longo prazo, pois a maioria das situações já foi vivenciada. Por outro lado, a disposição para correr riscos e tomar decisões rápidas e criativas é ideal para ambientes mais dinâmicos — como é o caso da maioria dos negócios atuais.

Depois dessas informações você já deve sentir-se mais apto a concluir se a área de recursos humanos é ou não importante para todo e qualquer negócio, certo?

Gostou deste post? Se quiser continuar acompanhando nossos conteúdos, assine a nossa newsletter e receba tudo em primeira mão

No Comments

Cancel